Atenção: Esse site só pode ser visualizado perfeitamente em um browser que suporta Web Standards. É recomendável que você atualize o seu browser clicando aqui. Obrigado e desculpe o transtorno.

14/03/2019

Seminário em Vitória discute saneamento e recursos hídricos

Uma consulta pública está aberta para colher contribuições para a revisão do Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab) até 8 de abril. Evento começa às 8h dessa quinta (14).

Estação de Tratamento de Esgoto de Mulembá, em Vitória

Um seminário para discutir saneamento e recursos hídricos acontece nesta quinta-feira (14), em Vitória. Nos painéis serão abordados os indicadores de água e esgoto no país, inclusão social e marco regulatório. As palestras começaram às 8h e vão até às 18h, no auditório da sede da Rede Gazeta, na Ilha de Monte Belo.

O debate concilia com a consulta pública que foi aberta pelo Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) para colher contribuições para a primeira revisão do Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab). Os interessados podem enviar sugestões até o dia 8 de abril, por um formulário.

O evento “Saneamento e Recursos Hídricos: desafios da integração”, que acontece no auditório da sede da Rede Gazeta, pretende reunir estudiosos e profissionais para debater sobre o tema.

O presidente do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, que abre o evento com uma palestra com o tema “Saneamento e Finanças”, aponta que o investimento no setor é o “maior e melhor investimento” do poder público. Isso porque, em apenas 46% das regiões brasileiras as casas têm tratamento de esgoto e evitaria gastos com saúde pública.

“A gente já mostrou por estudos, por uma metodologia internacional, que quando uma cidade investe que quando uma cidade investe em saneamento, as doenças caem muito rapidamente e as pessoas ficam mais saudáveis, as crianças vão menos para os postos de saúde, ou seja, a prefeitura gasta menos com doença. Você melhora a educação, melhora o turismo e também o valor dos imóveis”, pontua Édison.

Sobre o preço que se paga pelo serviço de saneamento, o presidente do instituto compara com outros gastos fixos dos brasileiros como energia elétrica e telefonia.

“Nós defendemos que o cidadão tenha um serviço adequado, em uma tarifa que ele pode pagar. A tarifa de água e saneamento é segunda menor tarifa no Brasil”, afirma Édison, que foi entrevista no Bom Dia ES na manhã desta quinta-feira.

Para o presidente da Companhia Espírito Santense de Saneamento (Cesan), Carlos Aurélio Linhalis, o evento vem em um momento importante para o estado, onde será investido R$ 180 milhões nos próximos anos em obras do sistema de esgoto de Cariacica e Viana. 

“Essas obras em saneamento vão atrair novas oportunidades de desenvolvimento econômico para essas cidades, promover a melhoria da qualidade de vida das pessoas e o meio ambiente será devidamente respeitado”, destaca Carlos Aurélio.

Programação 

A abertura do evento será com o tema “Saneamento e Finanças” com o presidente do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos. Nessa mesa, os participantes terão acesso aos indicadores de água e esgoto do país.

Em seguida, os dois primeiros painéis do dia tratarão de temas como inclusão social por meio do saneamento e planos de recursos hídricos.

Outro painel abordará o marco regulatório dos recursos hídricos e do saneamento. Nessa mesa, serão discutidos aspectos das Medidas Provisórias (MPs) que visam alterar a lei de saneamento e a nova legislação.

Na palestra, os convidados comentarão o fim do subsídio cruzado no saneamento, além de informações atuais e estratégicas sobre o panorama jurídico do setor. O novo papel da Agência Nacional de Águas na Regulação do Saneamento Brasileiro também será debatido.

Fonte: G1 ES